Sábado, 9 de Fevereiro de 2008
AMOR NAZISTA

 

 

Germânico tenha piedade de mim
Pobre judia...
Teus cabelos dourados
Teus olhos da cor do oceano
Dão luz a esta escura guerra!

Ah! nazista..
Nosso amor é proibido
Não há como renegar tua natureza
Mataste meu povo!

Amar-te é meu maior pecado
Já não temeria a hora de minha morte
Morreria em teus braços!
Como posso odiar esta alemanha
Sendo que em meu ventre
Já carrego o seu sangue!

Ainda tenho esperança meu soldado
Que findada a guerra
Deste campo de concentração me levares
Meus cabelos negros
E minha pele morena assumires...

A paz voltando ás ruas...
Que de tua mulher e filho
Faça a tua bandeira!
Servirei a ti
Fielmente com meu amor
Meu fuhrer!

 

Cleópatra


...:

publicado por Cleópatra às 01:10
link do post | Comentar | favorito
|

4 comentários:
De Cleópatra a 16 de Novembro de 2008 às 03:08

Escrevi "Amor Nazista" utilizando o cenário da segunda guerra mundial, relatando o amor proibido entre uma judia e um soldado nazista...Foi inspirada em uma paixão que tive por um descendente de alemães aqui no sul do Brasil, não foi uma grande paixão, mas me rendeu esta bela poesia, esta idealização que tenho á respeito do amor..
Se o soldado a amava ou não é um grande mistério..
teria ele deixado ela naquele campo de concentração, por ela ser agora de uma raça inferior, ou por covardia?
Seria idealização da pobre judia, de um amor que já não existe mais, ou nunca mesmo chegou a existir..
Cabe a vocês decidirem se é uma bela história de amor ou uma história trágica, onde a ilusão e loucura são as únicas companhias de uma pobre judia-defunta ..


De Deivid de Joras a 6 de Maio de 2012 às 23:55
Moça, encontrei teu blog por acaso, se é que existem acasos. E foi uma grata surpresa. É simples, consistente e de uma sutileza e boa escrita incrível.
Parabéns


De Jainara a 18 de Setembro de 2014 às 21:41
Olá, muito prazer. Eu me chamo Jainara Costa, sou filha de judeus. Fiquei extremamente comovida com sua poesia porque vivi e ainda vivo uma história com um alemão, que (não sei se ainda continua com a mesma ideia, não posso afirmar), mas era fã de Hitler. Ele era contra deficientes, judeus, etc, etc, e eu, sou judia e deficiente visual. Não sei por quê, são mistérios do coração nos quais não podemos mandar, me apaixonei por ele. A princípio, um amor platónico, conflitante e doloroso. Mais tarde, por mais que tentasse esconder, não somente eu, mas outras pessoas iprceberam que ele também se apaixonou por mimHoje vivo em Roma, e ainda não tivemos um final para nossa história tão complexa. Tudo o que sei é que continuo amando-o como antes. Nota: pensei em compor, ou quem sabe utilizar sua poesia em uma canção, já que sou cantora e pianista, mas só farei isto se vc concordar. Um grande abraço, sucesso e vá enfrente!


De Anónimo a 18 de Outubro de 2015 às 01:56
oi janaína! eu abandonei meu blog! e só agora que li teu comentário!Nossa isso realmente me surpreendeu! Escrevi porque faço história e amo criar histórias pro meus sentimentos.. É claro que permito tu colocar a poesia em uma canção!! não sei se verá esse comentário, mas caso um dia veja e faça a música me envie! meu email é marcele1509@yahoo.com.br


Comentar post


Profile
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Poesias recentes

LAÇOS ETERNOS

...

FANATISMO

AMOR NAZISTA

PUS O MEU SONHO NUM NAVIO

PELE TROPICANA

O MAPA

PARTITURA DIVINA

SER POETA

TERRA E MAR

Baú da Poesia

Setembro 2008

Julho 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags


Links
Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds