Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008
AH! OS RELÓGIOS

 


Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...
Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.
Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.
E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida -
acaso lhes indaga que horas são...


Mário Quintana

 

 

A Persistência Dos Relógios, Salvador Dalí

 

 

 

 


...:

publicado por Cleópatra às 12:15
link do post | Comentar | favorito
|


Profile
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Poesias recentes

LAÇOS ETERNOS

...

FANATISMO

AMOR NAZISTA

PUS O MEU SONHO NUM NAVIO

PELE TROPICANA

O MAPA

PARTITURA DIVINA

SER POETA

TERRA E MAR

Baú da Poesia

Setembro 2008

Julho 2008

Fevereiro 2008

tags

todas as tags


Links
Pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
subscrever feeds